terça-feira, 9 de agosto de 2011

Sobre o Amor...de George MacDonald

        
                                                                                           George MacDonald
              O amor é uno. O amor é imutável.
       Pois o amor ama ser puro. O amor sempre visa a beleza absoluta do objeto contemplado. Onde a beleza é incompleta, e o amor não pode amar na medida da sua capacidade, ele ocupa-se em tornar mais belo seu objeto para poder amar mais.  Esforça-se para obter a perfeição até que ele mesmo possa ser aperfeiçoado - não em si mesmo, mas no objeto. Como foi o amor que no início criou a humanidade, até o amor humano, na proporção da sua divindade, continuará criando o belo para seu próprio extravasamento. Não há de eterno a não ser aquilo que ama e pode ser amado, e o amor é uma eterna escalada em busca da consumação, quando assim será o universo, imperecível, divino.
        Portanto, tudo o que não é belo no amado, tudo o que atrapalha e não é da natureza de Deus deve ser destruído.
        

        Pois não pode haver nenhuma unidade, nenhum prazer de amar, nenhuma harmonia, nenhuma vantagem em existir, onde existe apenas um indivíduo. Dois no mínimo são necessários para a unificação. E quanto maior o número de indivíduos, tanto maior, mais bela, mais rica e mais divina é a possibilidade da unidade.
        Deus é fonte de vida. No contínuo fluir desta vida, eu o conheço. Quando me dizem que ele é amor, vejo que, se ele não fosse amor, ele não poderia existir, não poderia criar. Não conheço nada nele mais profundo que o amor, nem creio que haja nele algo mais profundo que o amor - melhor, que possa existir algo mais profundo que o amor. O ser de Deus é amor, portanto criação. Imagino que desde toda a eternidade ele vem criando. Como ele viu que não era bom para o homem ficar só, assim ele mesmo nunca ficou só. Desde toda a eternidade o Pai tem o filho e a nunca-iniciada existência daquele filho eu a imagino como um fluir fácil da natureza do Pai. Ao passo que a criação de outros seres - iguais a nós - eu imagino ser esse o trabalho de Deus, um trabalho eterno.....

É o amor de DEUS.

2 comentários:

  1. ...O amor de Deus é incondicional, todas as vezes que paro pra pensar em qnto Deus me ama, o quanto Ele se importa comigo e com todos, a minha mente para, pois ela é tão limitada pra compreender como pode alguem amar um ser que erra tanto, eu imagino qndo acontece algo conosco que ficamos magoados com alguem que nos fez uma insjustiça, e a gente ter que perdoar essa pessoa todos os dias, ama-la, assim é o amor de Deus conosco, Ele nos ama MTOO, e a unica coisa que Ele quer de cada um de nós que o amemos, de todo o nosso coração!Cada dia que passa eu amo Deus mais e mais, a sua graça é infinita, e o unico desejo do meu coração é que todos um dia entendam esse amor de Deus por nos, e se entregue em seus braços!!...mto bom o texto Felippe, to aprendendo mto com eles!!bj

    ResponderExcluir
  2. Valeu Tati, lindas palavras...
    minha oração é para Deus me ensinar a amá-lo sobre todas as coisas a cada dia......

    ResponderExcluir